Home » » Dia da Independência

Dia da Independência

Written By De Estimação on domingo, 7 de setembro de 2008 | 11:00

Hoje comemora-se o dia da Independência do Brasil, mas não é sobre essa independência que eu venho falar.
Falo sobre as outras independências da nossa vida, ou melhor, das dependências que nos cercam dia após dia.
Depender de alguma coisa, de alguma pessoa, de alguma situação é muito ruim. A sensação é de inutilidade, de incapacidade, de inferioridade, mas apesar dessas sensações ruins, muitos de nós não sabemos ou não conseguimos nos livrar delas.
Eu sou dependente de um monte de coisas, infelizmente, e ando procurando observá-las cada vez mais para me livrar delas. Acho que já melhorei muito, mas ainda me vejo andando pra trás em determinadas situações e pior. Situações que se repetem, repetem e se repetem...
Hoje recebi um texto que fala mais ou menos sobre isso. Sobre as dependências que nos sufocam e que ainda assim continuamos dependentes.
Gostaria de compartilhar com vocês. Pode ser que ajude ou pelo menos estimule a mudarmos alguma coisa, não é?
"Tem uma série de coisas que a gente deseja na vida:

uma profissão que nos realize, uma intensa vida afetiva, viagens, amigos, descobertas. Mas se eu tivesse que resumir em uma única palavra o que considero a mais importante conquista, esta palavra seria independência.

Hoje, 7 de setembro, dia em que se comemora a independência do Brasil. No entanto, prefiro comemorar a minha, a sua, a nossa independência.

Não há quem não sonhe em trabalhar por conta própria, ser patrão de si mesmo. Os que conseguem não trocam por nada. Como conseguir isso? Dominando um ofício, indo além do que os outros aprenderam, fazendo as coisas do seu próprio jeito, arriscando. Parece difícil, e é, mas mais difícil ainda é ser independente no amor.

Paixão não entra nessa conversa. Quando estamos apaixonados somos todos dependentes de telefonemas, de e-mails, de declarações, de presença constante. Já o amor, que é um estágio posterior, mais sereno e seguro que a paixão, permite o desenvolvimento da independência.

Você não precisa estar em todos os lugares que o seu amor está, você não precisa concordar com tudo o que ele pensa, você não precisa abdicar dos seus projetos, você se sustenta, você conta, você existe.

Tem gente que abre mão disso por puro comodismo. Prefere ser uma sombra, um sparing. Defende-se dizendo que não tem outro jeito. Mentira. É uma escolha.

Ir sozinha ao cinema. Viajar. Pagar sua dívidas. Dirigir. Não afligir-se (tanto) com a opinião alheia. Saber cozinhar pra si mesmo, entreter-se com hábitos solitários como a
leitura, pegar um táxi, resolver os próprios problemas, tomar decisões com confiança. Não "precisar" dos outros, e sim contar com os outros para aquilo em que eles são insubstituíveis: companhia, sexo, risadas, amizade, conforto.

Se você ainda não atingiu este estágio, suba num cavalo imaginário e dê seu grito do Ipiranga. Ficar amarrado à vida alheia faz você viver menos a sua.

Nada de fazer-se de desentendida só para não se incomodar.

Incomode-se. Dependência é morte".
Autor desconhecido

0 comentários:

Top