Home » » A praticidade no amor

A praticidade no amor

Written By De Estimação on domingo, 4 de janeiro de 2009 | 17:07


"Qual o segredo da felicidade? Será preciso ficar só prá se viver...

Qual o sentido da realidade? Será preciso ficar só prá se viver..."

Kid Abelha


Será mesmo? Bom, infelizmente eu estou começando a achar que Paula Toller esta certa.

Tenho ouvido muito das minhas amigas já casadas, que chega uma hora em que o amor se transforma em outra coisa. Pergunto que coisa é essa e não sabem me explicar.

Todas falam como se a beleza, a alegria da vida tivesse chegado ao fim e algumas delas chegam a invejar minha vida de solteira (como se esta fosse grande coisa).

Enfim, ouço também que chega uma hora na vida das mulheres em que temos que pensar com a cabeça masculina, ou seja, devemos ser práticas assim como eles. Só não sei como é ser prática quando o assunto é amor.

Por esses e vários outros motivos, muitas vezes me sinto uma mulher diferente. Quando penso na praticidade no amor eu penso em unir o útil ao agradável. Mas será mesmo que é unir o útil ao agradável? Não sei, tenho lá minhas dúvidas.

Ser prática me leva a pensar que aos 35 anos, por exemplo, ainda solteira, devemos nos casar com qualquer homem somente para constituir uma família e sair do time das disponíveis no mercado ou encalhadas ou pra titia.

Já ouvi também que devemos escolher o homem sem pensar com o coração e sim com a racionalidade. Não necessariamente escolher o homem que se ama, mas sim um homem que seja um bom pai, um bom marido, que tenha uma boa conta bancária e estabilidade no emprego.

Eu volto a questionar: O que é estável hoje em dia? Qual é a certeza que um casamento pode te proporcionar?

Bom, eu deixo isso tudo no ar, porque eu acho que é impossível incluir a praticidade no amor.

O amor é emoção, é sensação, é felicidade, é sentir a alma viva, é admirar o outro, é respeitar o outro, é estar junto pelo simples fato de querer estar.

É, parece bem fácil, né?, mas na prática (olha ela aí), não me parece ser.
Enfim, vale a pena refletirmos sobre o que é real para a gente quando pensamos no amor.

2 comentários:

blogdozemarcos.com disse...

::: Olá, amiga-filha. Em primeiro lugar, seja bem-vinda de volta ao blog. Estava com saudade de seus textos. Agora, sobre casamento... Estou casado há 16 anos com minha amada amante. Juntos, há 20. Já passamos por altos e baixos. Já nos separamos por quatro meses. Mas hoje vivemos como dois namorados. Há muito amor, muito mesmo. E isso faz o resto ficar fácil de resolver. Não há receita ou fórmula mágica. Apenas amor. Beijos, querida!

fabio lucio disse...

GRINGAAAAAAAA
Q BOM Q VOLTASTES AO BLOG.
VÊ SE A PIMPINELA SAI ESSE ANO NÉ !!
RSSSS
BJ

Top